22.6.05

Resposta da Mariana ao Desafio V

Pelo universo
(Baseado em "Across The Universe")

Pássaros cantando. No jardim lá da frente. Engraçado como eu nunca havia notado a beleza da música feita por eles. Aliás, é impressionante como toda a infinita beleza do universo sempre me passou batida...

Até agora. Meus olhos e ouvidos se abriram com o vento incansável da felicidade. E você é o responsável.

Você. Um suspiro me invade ao ver sua imagem alva como luz inquieta dançando inerte ao meu lado. Enxergo em você a força e a delicadeza do farfalhar de asas das mais doces palavras que existem...

Pois você abriu minha mente e me possuiu com a intensidade de uma chuva fustigante rumo a uma viagem pelo universo. Viagem essa que começou aqui, onde jazem nossos corpos nus.

Por um momento me recordo do quão arriscado foi para mim iniciar essa viagem ao seu lado. Mas o fato é que não estava feliz em meu outro mundo, nele não havia pássaros, apenas poças profundas de tristeza. Vim até você em busca de paz e encontrei o universo em seus braços e em minha mente.

Olho agora fixamente para sua figura pálida de escuros cabelos e todas as cenas da viagem me vêm à cabeça. Nossa aventura começou com seus beijos voluptuosos por todo o meu corpo, que apagaram de mim a tristeza, como se o brilho de milhões de sóis invadisse meus olhos ao mesmo tempo. Suas mãos hábeis na exploração de meus quadris, seios e pernas me chamavam e me guiavam no caminho tortuoso e escorregadio que levava ao deleite. E ele foi ficando cada vez mais barulhento e poderoso, sempre que seu corpo magro e viril vinha de encontro ao meu... Até que fui... Pelo universo!

Ondas gigantes de alegria tomaram conta de mim como se fossem o som de zilhões de gargalhadas tocando freneticamente em frente aos meus olhos. Um delírio imenso se apossou do meu corpo e me levou, tropeçando ferozmente, para o ápice de toda aquela viagem pelo universo. E você, como a mais incrível revoada de pássaros, estava dentro de mim pelo universo. E nós éramos tudo naquele momento. O tudo no tudo foi tudo o que fomos.

E ainda somos. Olhando pra você agora, nu, claro e tranqüilo como a vida nova que se abre para mim, posso ver que um amor sem limites dança à minha volta, sempre me chamando para viajar pelo universo. Finalmente estou no mundo que eu quero, um mundo de pássaros, sóis, brisas e luzes. E nada vai mudar meu mundo. Nada.

7 Comentários:

Anonymous Mari DeL disse:

*imitando a Aline*

"Jai guru deva" = tudo em tudo é tudo o que todos nós somos.

6/23/2005 12:12 AM  
Blogger Paty disse:

Juro que no Círculo eu fiquei atordoada pelas imagens psicodélicas e delirantes e a ficha não caiu 100%. Agora, diante de uma segunda leitura, a conclusão a que eu havia chegado depois de ver a letra da música se reafirma: texto fantástico, sensorial ao extremo, retratou com maestria esse momento que eu julgava indescritível até agora. E tem ainda uma relação simbiótica (eita!) com a música. Um primor, maninha!

6/23/2005 2:25 AM  
Anonymous rick disse:

Bom mermo, Mari...

...dpois não vem dizer q não sabe escrever!

6/25/2005 3:17 AM  
Anonymous Amanda disse:

Eu sempre imaginei essa canção como a epifania de tudo que há de mais triste e desolado na face da Terra. Afinal, você esqueceu-se da parte "Nothing is gonna change my world", não é?

Mesmo assim, é sempre revigorante saber que uma mesma melodia leva a interpretações tão conflituosas!

Beijão, e excelente texto, viu?

Amanda

6/30/2005 10:13 AM  
Anonymous Anastha disse:

Apesar de tudo ficou muito foda. Bjim

6/30/2005 11:16 PM  
Blogger Mari DeLarge disse:

Valeu, gente!!! Vcs nos incentivam (nossa q clichê!)! XD

E respondendo à Amanda, não, eu não esqueci o "Nothing is gonna change my world". Tá ali, discreto no fim do texto, simbolizando a felicidade plena da nossa personagem, q quer q o mundo pare de girar e congele naquele seu instante de plenitude. XD

Bjs bjs bjs a todos! ^^

7/06/2005 1:50 PM  
Blogger Maria Laura disse:

Faço minhas as palavras da Pat: a ficha demorou a cair (será que isso diz algo sobre mim?). Mas hoje, já afastada desse desafio, e lendo no estado de espírito certo, eu vejo que essa sensação nunca foi tão magistralmente descrita. Aliás, poucos tiveram coragem de descrevê-la. E você, inimitavelmente, o fez.
Parabéns, minha caçulinha linda! É teu melhor texto!

9/08/2005 2:07 PM  

Postar um comentário

<< Home